Percorrer as trilhas na Serra da Canastra é, sem sombra de dúvida, uma aventura para lembrar por toda a vida. A quantidade de memórias geradas durante apenas quatro dias foi impressionante, incluindo os desafios, paisagens, pessoas e comidas típicas ao longo do caminho. Percorrer as trilhas por entre as montanhas cortando rochas, vales, campos, rios e riachos com suas espetaculares quedas d’água (a Casca D’Anta com seus majestosos 186 metros de altura), passar por fazendas e vilarejos mineiros com suas pousadas aconchegantes e comidas caseiras… quanta coisa boa! Afinal, estando em Minas Gerais, nada melhor que desfrutar do tradicional queijo Canastra, dos pães de queijo quentinhos e macios, das cachaças e das acolhidas prá lá de hospitaleiras, que serviam para recarregar as baterias antes de pôr o pé na estrada novamente. Passamos por descidas e subidas desafiadoras, planaltos de vegetação espetaculares e tivemos o prazer de nadar nas águas frias e limpas do Rio São Francisco que escolheu (não foi à toa)  ali nascer.  Poeira e barro acompanhando todo o percurso, mas certamente lavando a alma com boas sensações. Coroando a jornada, a incomparável vista do majestoso Cânion do Rio Grande e um passeio de lancha no lago do mesmo Rio e a oportunidade de nadar sob uma grande cachoeira. Belas paisagens, boa comida, muito companheirismo e novos amigos, o que mais se pode querer dessa vida? E antes que venha o ponto final da frase a mente já responde quase que automaticamente: mais um passeio desses! Mais muitos! Então, que venham os próximos e que todos estejam convidados!